Artigos New Cash Tutoriais

Quantas informações são necessárias numa transação de Criptomoedas?

É interessante perceber o funcionamento das transações de Criptomoedas via blockchain. Ter uma visão geral dessa estrutura  nos ajuda a avaliar e apreciar de melhor forma como as coisas realmente acontecem nesse sistema finaceiro descentralizado.

bg_Blockchain_444361231-1.jpg

Existem seis informações essenciais em uma transferência de criptoativos. São elas:

1- Um identificador da conta que transferirá as criptomoedas a outra conta

2- Um identificador da conta que receberá as criptomoedas transferidas

3- A quantia de moedas a serem enviadas de uma conta para a outra

4- O horário em que a transação é feita

5- Uma taxa a ser paga para o sistema pela execução da transação

6- Uma prova de que o proprietário da conta que está tranferindo as criptomoedas realmente está de acordo com a transferência

Essas são as seis informações essenciais numa transação dessa natureza e ela explica algumas coisas dentro do sistema e das funcionalidades do Bitcoin e demais criptos.

O “identificador” dos pontos 1 e 2 são as chaves públicas dos dois usuários. Aquele que vai enviar e aquele que vai receber. Essa chave pública é equivalente em nosso sistema financeiro atual a um número de conta bancária. Essa chave pode ser compartilhada de forma pública sem nenhum risco à segurança de sua conta, assim como nenhum bandido tem como roubar seu dinheiro no banco por conhecer o número de sua conta bancária.

Os passos 3-5 lidam com as informações específicas de uma transação específica. O valor a ser transferido, o horário em que a ordem está sendo executada e o valor da taxa pela transação. Nesse ponto, alguns novatos ficam confusos, mas o importante é entender que em geral as carteiras de criptomoedas tornam o preenchimento dessas informações bastante fácil e intuitivo. Ressalva seja feita à questão das taxas, uma vez que algumas carteiras permitem a personalização das taxas e outras não dão essa opção de forma direta. Por isso é sempre bom estudar as funcionalidades das carteiras que você vai usar a depender do nível de controle que você deseja ter sobre todas as partes do processo de transação.

O passo 6 é aquele referente à famosa e importante chave privada. Como o sistema entende que o possuidor da transação realmente quer transferir as criptomoedas? Pela assinatura da transação com a chave privada. Lembrando que a chave privada é equivalente à senha da sua conta no paradigma atual. Por isso ela é “privada” e secreta e não pode ser compartilhada com ninguém, pois qualquer um que possua essa chave pode assinar uma transação e gastar todo o saldo atrelado a uma conta específica.

private-key-vs-public-key.png
Exemplo de chave pública e chave privada
blockchain wallet.png
Exemplo de dados de uma transação numa carteira

Todas essas informações são essenciais para que haja uma transferência de valores dentro desse sistema que possibilita a existência de um novo sistema financeiro.

Para participar dessa revolução na prática, acesse: https://newc.com.br/