Artigos Bitcoin New Cash Textos

O Futuro do Bitcoin!

As festas de fim de ano são marcadas por retrospectivas do ano que passou e perspectivas sobre o ano que virá. Vamos nos concentrar no futuro por alguns momentos.

O Bitcoin mantém sua jornada de amadurecimento e expansão a despeito da queda nos preços nos últimos 12 meses, mas alguns desafios ainda impõem sobre o mercado a necessidade de responder a questões muito importantes no futuro.

1. Usabilidade melhorada

No futuro, usar o Bitcoin precisará ser cada vez mais fácil e simples em termos do próprio “manuseio” do ativo através dos celulares e computadores das pessoas. Eliminar as complexidades sem abrir mão da segurança e da descentralização é o alvo supremo na direção desse futuro.

2. Um novo dinheiro melhor que o dinheiro antigo

Hoje, o Bitcoin precisa ser “vendido” para as pessoas como um novo dinheiro, ainda que ele seja atualmente pior que o dinheiro corrente (antigo). Explico. O ecossistema ainda está nascendo e há muita dificuldade em usar o Bitcoin na prática e ainda há dificuldade em comprar/vender as coisas em geral, na prática, com Bitcoin (uma das mais fundamentais características do dinheiro).

Além disso, o Bitcoin exige mudança de hábitos na hora de criar, manusear e gastar o dinheiro e isso nem sempre é bem vindo entre as pessoas. Numa situação assim, só adere ao Bitcoin quem descobriu alguma forma de se beneficiar dele no presente ou quem realmente acredita que essa tecnologia vai se desenvolver muito no futuro e quer participar disso desde o início apesar dos “incômodos” atuais.

Seja como for, no futuro o Bitcoin precisará ser muito melhor que o dinheiro atual a fim de que a adesão em massa venha e com isso vejamos todo o potencial dessa tecnologia em ação. Naturalmente, questões tecnológicas precisarão amadurecer em termos de escalabilidade e suas exigências inerentes.

3. Regulação inicialmente confusa/contraditória

Ainda que muitos adeptos do Bitcoin tenham a esperança de que o ativo quebrará todas as barreiras independentemente da “permissão” de “entidades centralizadas” na direção de uma economia descentralizada, o fato é que veremos o espaço ser alvo de regulações.

Há uma polêmica na comunidade sobre se devemos rechaçar todas as tentativas de regulação seguindo nossa vocação anarquista e anti-sistema ou se devemos nos envolver desde cedo com os reguladores a fim de ajudar o governo a entender a tecnologia e suas implicações a fim de que sejam criadas regulações que terminem sendo mais benéficas ao ecossitema do que maléficas.

O mais provável é que os governos ao redor do mundo regulem as atividades em torno das moedas digitais de forma confusa e em contradição entre si, o que fará com que muitas empresas da área migrem para as áreas mais amigáveis à tecnologia (como já ocorre hoje em menor escala).

Num futuro mais a médio/longo prazo a tendência é que as leis em torno das criptomoedas sejam “globais” e cumpram até mesmo um papel de forçar a discussão de um “governo global” sobre o mundo em termos monetários, o que não deixa de carregar implicações potencialmente irônicas e complexas para o futuro à luz dos objetivos iniciais dos adeptos dessa tecnologia.

4. O ponto de virada

Provavelmente, o Bitcoin verá no futuro um ponto de virada que será decisivo para seu fracasso ou sucesso. Uma guerra, uma crise financeira global ou eventos em torno do desenvolvimento e amadurecimento tecnológico podem concorrer para fazer com que a moeda digital descentralizada se apresente como um mero sonho devastado pela realidade ou como um sistema financeiro viável para a superação do modelo atual em sentido benéfico.

O que de fato ocorrerá e como, a cada etapa do caminho, permanece um mistério. Mas as respostas virão a medida em que o que hoje é futuro se tornar presente e, enfim, passado.

Acesse: https://newc.com.br